«É a guerra: Aquilino Ribeiro e a conflagração mundial»